Dançar Até aos Braços de Jesus - Logos Hope

Dançar até aos Braços de Jesus

Delysia de Koe (Namíbia) foi criada pelos avós. A crença não fazia parte da sua vida pessoal, embora isto viesse a mudar quando, aos 13 anos, foi convidada por uma amiga para ir a um grupo de dança para jovens. Mal sabia Delysia que dançar não era o principal motivo para que aquele grupo de meninas se reunisse. Na verdade, elas juntavam-se para falar sobre Jesus e sobre a Bíblia. À medida que foi frequentando o grupo, a Delysia veio a acreditar em Jesus por si própria.



		

As circunstâncias fizeram com que Delysia se mudasse com frequência. Esta inconsistência contribuiu para que deixasse de se focar na sua fé cristã em momentos em que era influenciada pelo comportamento dos seus novos amigos. Mas, olhando para trás, ela diz: “Sempre que me senti sozinha, ou estava em algum sítio por minha conta, o meu coração e a minha mente voltavam-se logo para Jesus, e foram nesses momentos que percebi que era Ele que se estava a agarrar a mim.”

 

A Delysia sentia-se longe de Deus e não tinha qualquer relação com Ele, quando o Logos Hope veio até à Namíbia em 2016, e a sua família sugeriu visitar a feira do livro.

 

Uma vez a bordo, a Delysia não conseguia tirar os olhos dos voluntários. Ela diz: “Eu não prestei atenção nenhuma aos livros. Eu só conseguia olhar para as pessoas que lá trabalhavam, servindo ao Senhor. Foi aí que percebi que era isso que eu tinha de fazer. Eu tinha de entregar a minha vida a Deus naquele momento e servi-Lo a tempo inteiro.”

 

Ela candidatou-se à OM, ao Mission Discipleship Training (MDT – Formação em Discipulado e Missões), em África, e despediu-se do seu trabalho num banco nesse mesmo dia. Ela diz: “Precisava arrecadar uma grande quantidade de dinheiro, mas ia-me lembrando que se era da vontade de Deus, Ele iria prover. E Ele proveu. Consegui o dinheiro todo que precisava, porque a minha igreja suportou-me totalmente.”

 

O MDT foi um recomeço para a relação da Delysia com Deus. Ela diz: “Deus mostrou-se mesmo como meu Pai. Eu não cresci com o meu pai biológico e só o conheci pela primeira vez aos 18 anos, portanto pela primeira vez na vida pude experimentar um amor paternal – através de Deus. Ele proveu de várias formas.”

 

Após a formação, ela continuou em missão a tempo integral; trabalhando na Índia, África do Sul e na sua terra natal, a Namíbia, nos três anos que se seguiram. Mas a Delysia diz: “Eu percebi que estava a viver na minha própria bolha; só me focava no meu próprio relacionamento com Deus. Há pessoas que nem sequer sabem que Jesus veio à Terra uma vez, e eu esperava a Sua segunda vinda.”

 

Deus preparou-a para o que viria a seguir. Ela diz: “O que tinha de acontecer antes de iniciar a minha temporada a bordo do navio era: construir uma relação forte e de devoção com Deus, moldar o meu caráter e, principalmente, entender como Deus me ama como um Pai, e que é Ele quem provê para todas as minhas necessidades.”

 

A Delysia juntou-se ao Logos Hope em Fevereiro de 2020, em Montego Bay, na Jamaica. A jovem de 26 anos diz: “À medida que os meses iam passando sem a possibilidade de comunicar com pessoas em terra firme, o meu entusiasmo transformou-se numa atitude negativa, acabando por me deixar frustrada. Mas Deus deu-me promessas e assegurou-me que tudo contribuiria para o meu bem. Uma veio de Isaías 54:10: Pois as montanhas se retirarão, e os montes serão removidos; mas o meu amor não se afastará de ti, nem a minha aliança de paz será removida, diz o Senhor, que se compadece de ti. Eu tinha de decidir por mim própria se queria desistir ou perseverar.”

 

A Delysia escolheu a segunda opção; confiar na promessas Bíblicas e estar disposta a ser usada por Deus, de acordo com o Seu plano. Hoje, a jovem é amiga de muitos dos tripulantes; sempre disposta a ouvir e a aconselhar onde possa – e é instrutora de dança a bordo.

 

Texto de: Cristina Amato

 

Data: 12/02/2021

 

Ler texto na versão original

 



		

Partilhe este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *