Salva Duas Vezes - Logos

Salva Duas Vezes

Esther tinha 21 anos, quando, a bordo do Logos, o primeiro navio da OM, viveu a experiência mais difícil da sua vida.



		

“A primeira vez que ouvi falar da OM foi aos 19 anos. Dois anos depois, visitei o Logos. E esse primeiro contacto, levou-me a servir a bordo, como voluntária, durante uma semana. No entanto, não quis que a minha experiência ficasse por aí. Então, apesar de não ter recursos financeiros, Deus abriu as portas e eu pude voltar a servir no navio por mais de dois anos.

 

Nessa segunda vez, em 1985, embarquei no México. Durante esse tempo, pude conhecer e conviver com pessoas de culturas diferentes. Aprendi muito com os devocionais, estudos bíblicos, a fazer evangelismo de maneira criativa com truques de cordas, pinturas, etc. Mas também aprendi com as dificuldades dos ajustes interpessoais, por causa da diferença de culturas e personalidades. E adquiri todas essas capacidades ao lavar pratos, limpar o chão, a fazer as tarefas que muitas vezes ninguém quer fazer. Mas como no navio não há empregados, nós temos de fazer todo o trabalho.

 

Ao longo desses meses, fui muito feliz a bordo e fiz amizades com pessoas de vários países, com as quais ainda mantenho contacto! Agradeço a Deus pela oportunidade que Ele me concedeu. Porém, também ali vivi a experiência mais difícil da minha vida!

 

No dia 4 de janeiro de 1988, estávamos a navegar o Canal de Beagle, uma faixa de água estreita entre a Argentina e o Chile. Era de noite, por isso eu estava a dormir, quando ouvi um som muito alto que me fez acordar. Logo em seguida, soou a voz do capitão ao microfone a dizer para vestirmos roupa quente, colocarmos o colete salva-vidas e subirmos para o refeitório.

 

Então, eu obedeci! Levantei-me, vesti-me, agarrei uma Bíblia de bolso e dirigi-me para a parte superior do navio e lá encontrei quase todos os outros tripulantes.  O capitão informou que o navio tinha atingido uma plataforma rochosa submersa e tinha encalhado.

 

Reunidos no refeitório, orámos, cantámos, lemos a Palavra de Deus. Isso fez-me pensar que o navio facilmente conseguiria sair dali e seguiríamos viagem. Contudo, as tentativas de sair das rochas não tiveram sucesso. ‘Talvez a maré alta fizesse o Logos flutuar e sair das rochas’ – pensava eu. Mas a cada onda, o Logos era elevado e em seguida batia de novo nas rochas. Isto fez com que o casco começasse a ceder. Depois disso, a água começou a entrar, subindo por um poço e espalhando-se para o compartimento dos livros.

 

Não demorou muito para que a inundação fizesse o Logos tombar drasticamente para bombordo. Por isso, o capitão pediu que fossemos para o lado de estibordo, mas isso não conseguiu reequilibrar o navio. Nesse momento, o meu coração acelerou e comecei a pensar: ‘durante este tempo todo falei sobre o céu e a salvação em Jesus a tantas pessoas, mas, se eu morrer agora, será que eu estou salva?’

 

Apesar deste medo começar a surgir na minha mente e no meu coração, não tardou muito para que Deus me acalmasse com a Sua paz. Foi aí que Lhe disse: ‘sim, eu estou pronta Senhor!’

 

Não consigo lembrar-me quanto tempo ficámos ali no salão de refeições. Entretanto outros barcos tinham vindo em nosso auxílio. Mas também eles não conseguiram retirar o navio das rochas. Por causa disso, o capitão deu ordens para que abandonássemos o Logos. Assim, entrámos calmamente nos botes, remámos até os pequenos navios que nos esperavam a uma certa distância e assim fomos resgatados. Erámos 140 pessoas a bordo. E todos fomos resgatados.

 

Ao olhar pra trás, apesar de ter sido uma experiência difícil, não a trocaria por nada. Nesse acidente perdi muitos pertences, nomeadamente muitas fotos dos lugares onde passei. A única coisa que consegui resgatar foi a Bíblia de bolso que agarrei quando o capitão deu ordem para subirmos para a parte superior do navio. Mas, apesar de todo o choro e perdas, cresci imenso no meu relacionamento com Deus. Não só isso, mas o Senhor usou essa experiência para confirmar-me o meu desejo de O servir fielmente até ao fim!”

Pela Sua graça, Deus salvou-me duas vezes: do naufrágio do navio, e do pecado e da morte eterna, através da morte e ressurreição de Jesus.



		

Atualmente, Esther serve na OM em Portugal como responsável pelos recursos humanos.

 

Para mais informações sobre o ministério dos navios da OM, visita a nossa página do Logos Hope.

 

Texto de: Esther Amorim 
Data: 15/06/2021


		

Partilhe este artigo

Comments (2)

  • Fátima Esberard Reply

    Ester És uma mulher que eu admiro, que respeito muito e sobretudo uma pessoa que adora a Deus que fala a palavra de Deus com fé e amor ❤️ Deus te Salvou Deus te escolheu para testemunhar o milagre da vida 🙏🏼❤️❤️❤️ beijs Deuseamor

    17 Junho, 2021 at 9:36
  • Márcia Alves da Costa Silva Reply

    Esterzinha, quem diria que uma menina qd chegou nossa casa, frágil, fosse tornar-se essa fortaleza.
    Muito orgulho de nossa amizade e convivência. Um grande abraço. Sua irmã em Cristo, Márcia

    17 Junho, 2021 at 15:20

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *